Anúncio topo

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EVITAR A SÍNDROME DA MORTE SÚBITA

Bem-estar

TUDO QUE VOCÊ PRECISA SABER PARA EVITAR A SÍNDROME DA MORTE SÚBITA

Poucas causas de morte são tão misteriosas e traumáticas para as famílias, quanto as que acontecem durante o sono de bebês aparentemente saudáveis. Hoje preparei uma pesquisa sobre tudo que você precisa saber para evitar a Síndrome da Morte Súbita no seu bebê.

O que é a Síndrome da Morte Súbita dos Bebês?

A morte repentina e sem explicação de bebês durante a noite assombra a humanidade desde épocas bíblicas. Não é uma entidade nova. Define-se esta síndrome quando bebês com menos de 1 ano de idade são encontrados em seus berços sem vida, sem causa que explique a morte, depois de cuidadosamente investigados o local, o histórico médico e familiar. Além disso, o exame pós-morte não evidencia nenhuma causa clínica para o óbito. Não existe uma explicação para o falecimento do bebê. Não há sinais de sufocamento, nem de engasgo.

Qual a idade de maior risco para Morte Súbita?

O pico de incidência está entre dois e quatro meses de idade, que é mais comum em meninos, que colocar a criança para dormir de barriga para baixo (em pronação) aumenta sobremaneira o risco e que a ocorrência depois dos seis meses de idade é rara.

Atenção: EVITE COLOCAR SEU BEBÊ RECÉM-NASCIDO PARA DORMIR DE BARRIGA PARA BAIXO. (Ver foto abaixo) :

bebedormindoerradoFoto : The Bump

Quais os principais fatores de risco?

Como não se encontram causas que expliquem a morte dos bebês, as pesquisas procuram estabelecer relações de maior probabilidade. Uma das mais fortes evidências é que bebês que dormem de bruços têm uma chance maior da síndrome. Por isso, a recomendação atual é a de que bebês durmam com a barriga para cima, e a cabecinha lateralizada. As fraldas não devem ser muito apertadas na barriga.

FORMA CORRETA DO BEBÊ DORMIR. ( Ver foto abaixo):

bebedormindocertoFoto: amberbuddy.com.au

Nos países industrializados, o reconhecimento de que deitar de bruços mais do que triplica o risco, deu origem a campanhas para que os pais colocassem os bebês para dormir de barriga para cima (posição supina). Esse cuidado simples diminuiu o número de óbitos em mais de 50%.

No Brasil, o costume de deitar os bebês de lado, posição que protege mais do que deixá-los de bruços, mas menos do que se estivessem de barriga para cima, explica por que a incidência é mais baixa: 5 a 10 em cada 10 mil crianças nascidas.

Algumas questões…

Dormir de barriga para cima não aumenta o risco para engasgo, se o bebê vomitar?

Não. A cabecinha lateralizada (ver foto abaixo) e a fralda mais solta na região da barriga protegem o bebê.

Foto : Murdock

E dormir de lado, pode?

Também não é indicado. Bebês que dormem de lado frequentemente conseguem se virar a ficar na posição de bruços.

Há outros fatores de risco?

Sim. Recomenda-se que o colchão seja firme e nada de almofadas, travesseiros ou bichinhos de pelúcia dentro do berço. Protetores são mais seguros se colocados pelo lado de fora. Importante evitar que os bebês fiquem super aquecidos ou com frio. Clima frio também parece ter relação com esta síndrome. Jamais cubra a face dos bebês com mantas ou lençóis. Jamais fumem perto dos bebês.

INFORMAÇÃO INTERESSANTE:

Bebê que dorme no quarto dos pais tem menor risco de morte, diz estudo. Especialistas dizem que os bebês devem dormir no mesmo quarto, mas em seu próprio berço.

Os recém-nascidos deveriam dormir no mesmo quarto que seus pais, mas em seu próprio berço, para reduzir os riscos de mortalidade relacionados com o período de sono, como a síndrome da morte súbita do lactente (SMSL), segundo novas recomendações da Academia Americana de Pediatria (AAP).

Atualmente os estudos evidenciaram que crianças que dormem no quarto dos pais até os 6 meses têm menor chance de morte súbita, razão pela qual a AAP fez esta recomendação.

Pode-se colocar o bebê para dormir na cama com os pais?

NÃO. A recomendação é clara: o bebê deve dormir no próprio berço, que pode se colocado no quarto dos pais. Jamais coloquem o bebê na cama com adultos. Durante a noite, sem perceber, adultos podem sufocar os bebês.

Alguns pais optam por moisés, o moisés é uma cestinha onde o bebê fica totalmente deitado. Há modelos de moisés bem simples, que são literalmente uma cesta que pode ser carregada para qualquer lugar; outros se adaptam a uma base e funcionam como pequenos bercinhos, geralmente deixados ao lado da cama da mãe que deseja manter o filho no mesmo quarto quando recém-nascido.

E o mini berço também é uma boa e sem contar que é um charme, mas acho que perde rápido. Esse mini berço (foto abaixo) é muito lindo e você encontra aqui para comprar!

Alguns pais estão optando pelo berço acoplado, confesso que acho mais bacana e para quem tem o espaço mais limitado é melhor. Você pode comprar o seu aqui!

Também acho fácil para amamentar, como mostra a ilustração abaixo:

Dormir no quarto com os pais pode atrapalhar o casal?

Quando o bebê está recém-nascido, e nos primeiros 3 meses de vida, é importante e mais tranquilizador para os pais que estejam com o filho pequeno ao seu lado, pois é uma fase de mútuo conhecimento, e é essencial que pais passem a entender a forma de comunicação e as necessidades do filho. É um período em que a mãe tem que acordar na madrugada para amamentar, em que as cólicas podem atrapalhar o sono da família… um período em que todos estão se adaptando a uma nova forma. Por isso, é importante estarem todos juntos.

Depois dos 3 meses, cada família pode conversar com o seu pediatra e adequar esta recomendação à sua rotina de vida da melhor maneira possível, de forma que todos fiquem tranquilos, felizes e, principalmente, seguros.

Continue lendo…

Foto : momjunction.com

Aqui neste post tem mais sobre a Síndrome da Morte Súbita.

Estão associadas com a síndrome algumas características genéticas envolvidas no controle involuntário (autonômico) das funções cardíacas e respiratórias, no equilíbrio energético e na resposta às infecções.

Bebês submetidos a condições como pobreza, exposição ao fumo, álcool e drogas ilícitas na vida intrauterina, ou à fumaça do cigarro depois do nascimento, são especialmente propensos.

A síndrome envolve uma convergência de fatores que resultam em asfixia dos bebês vulneráveis, portadores de sistemas cardiorrespiratórios e mecanismos de despertar imaturos e ainda mal integrados.

Uma preocupação dos pais que tiveram a infelicidade de perder um filho nessas condições, é com a probabilidade da síndrome se repetir num nascimento futuro. Embora nesses casos o risco seja mais alto, ele é mínimo: a estimativa é que a chance do irmão sobreviver seja da ordem de 99,6%.

Para a prevenção devem ser adotadas as seguintes medidas:

1) Evitar que o bebê durma de barriga para baixo ou de lado, dar preferência à posição supina;

2) Não agasalhar excessivamente e manter o quarto ao redor de 22º C;

3) Não usar colchões e travesseiros muito macios;

4) Dormir no mesmo quarto, mas sem compartilhar o leito com a criança;

5) Não tomar bebidas alcoólicas nem fumar durante a gravidez;

6) Jamais expor o bebê à fumaça de cigarro.

Fontes: drauziovarella.com.br , Programa Bem Estar da Rede Globo, Dra. Ana Escobar

COMPARTILHE ; )


Tags: , ,
Pati Azevedo

Pati Azevedo

Estilista, Empresária, editora do blog Grávidas e Antenadas e mãe de 2 crianças lindas!

Comentários


Posts relacionados

Brotoeja: o que é?

Afinal, o que é brotoeja? A dúvida é frequente e pode, sim, assustar muitas mães! Hora de esclarecer tudo! Convidamos…

Leia mais

Atitudes que esperamos dos padrinhos dos nossos filhos

Batizar uma criança é muito mais do que só dar presentes em datas especiais, e hoje separei uma matéria bacana…

Leia mais

BEPANTOL® BABY E INSTITUTO GUGA KUERTEN FIRMAM PARCERIA

BEPANTOL® BABY E INSTITUTO GUGA KUERTEN FIRMAM PARCERIA EM PROL DA EVOLUÇÃO DE MILHARES DE BEBÊS E CRIANÇAS COM DEFICIÊNCIA…

Leia mais

Plugin produtos

Facebook

Pinterest

2478MamãeAchei! - © 2016 - Direitos Reservados