Anúncio topo

Entrevista com a Jé – Doce bom, bonito e feito com amor e bom-humor

Entrevistas

Entrevista com a Jé – Doce bom, bonito e feito com amor e bom-humor

Os docinhos são deliciosos, as embalagens de babar e a simpatia da Jé, então? Uma coisa! Melhor do que apresentá-la, é começar essa entrevista com a própria descrição da dona dos Maravilhosos Docinhos da Jé.

“Oi, oi! Eu sou a Jé, d’ Os Maravilhosos Docinhos da Jé. Tenho 27 anos e sou doceira por paixão. Me formei em uma área nada a ver comigo e trabalhei em lugares que não me identifiquei, por isso, nos últimos anos, resolvi me dedicar ao projeto dos docinhos que sempre foi uma ideia incubada. Com o incentivo do marido, da família e dos amigos, aceitei o desafio de largar o conforto do escritório para me arriscar entre panelas e chocolate. Tem dado certo, ainda bem. De 2015 até agora, passei de três para 24 tipos de brigadeiro e quero mais. Recentemente comecei a produzir outros tipos de doces, como trufas, fudges e, em breve, outras novidades”

[Revista MamãeAchei!] Jé, seu trabalho nos deixou apaixonadas! As mesas de festinhas com certeza ficarão lindas com docinhos tão delicados. Conta para nossas leitoras, como tudo começou para ser assim, tão especial?

Sempre tive uma ligação muito forte com o universo da cozinha, cresci ao redor da pia e lavei muita louça. Sim! Água e detergente eram brincadeira, eu adorava. Mas foi só na época de faculdade que dei bom uso às panelas. Assim: chegavam boletos de mensalidades e rematrículas e meu salário não acompanhava. Comecei a frequentar as profundezas do cheque especial. Na época, meu namorado [hoje marido] sugeriu vender brigadeiro. E lá fui eu! Primeiro usei a minha família como cobaia e as festinhas lá de casa começaram a ficar mais doces. Todo mundo amou e a notícia se espalhou rapidinho. Em algumas semanas surgiu a primeira encomenda de um não-parente. Deu um frio na barriga porque eu não sabia se estava realmente preparada, afinal, elogio de família não conta! Mas foi um sucesso! Aí peguei gosto, acreditei. Terminei os estudos, mas o diploma ficou lá no tubo. Fui atrás de receitas, técnicas e, desde então, o fluxo de encomendas vem aumentando e minha vontade de fazer docinhos cada vez mais maravilhosos, também.

[Revista MamãeAchei!] Por que eles são tão maravilhosos? Conte sobre a escolha do nome!

Essa história de maravilhoso não foi eu que inventei. Foi a voz do povo, e essa voz, você sabe, é divina. Quando eu pedia pra alguém provar, meus amigos falavam, “hmnnn, que docinho maravilhoso Jé”. E quando não sabiam que era meu, alguém logo avisava, “é o docinho maravilhoso da Jé”. Aí pegou o nome. Até gosto deste título, mas sinceramente não me orgulho. Gente, ser maravilhoso é minha obrigação. Pensa na cena: você querendo um doce e de repente morde uma coisa mais ou menos. Inadmissível! Vou na contramão de qualquer coisa mediana. Só apresento o que considero delicado, agradável e maravilhoso, é claro. Sou bem chata com a seleção dos ingredientes e faço questão de provar cada receita antes de entregá-la (adoro essa parte!). Por isso, sem falsa modéstia e sem medo de recalque, afirmo que os meus docinhos são maravilhosos sim.

[Revista MamãeAchei!] Como você define o estilo da Os Maravilhosos Docinhos da Jé? Quais os ingredientes e confeitos que mais gosta de usar?

Durante muito tempo eu pensei como os meus docinhos seriam maravilhosos e porquê. A primeira decisão foi relativamente fácil: matéria-prima da melhor qualidade, coisa da boa mesmo. E esse consenso eu consegui fazendo muitos testes. Aprendi que o ingrediente bom, nem sempre é o mais caro. Por exemplo, existem ótimos chocolate produzidos aqui no Brasil. Não é só belga que presta — e aliás eles, os belgas, adoram nosso cacau! Faço questão de uma boa manteiga do tipo extra! Os confeitos que mais uso são os de chocolate, e nesse caso sim, só os belgas, infelizmente os confeitos nacionais são meros granulado de açúcar e isso compromete totalmente a qualidade e o sabor do docinho. Eu defino meu estilo como docinhos simples, sem firulas, totalmente artesanais, feitos com carinho e amor, tipo docinho de mãe, ou seja, maravilhoso.

[Revista MamãeAchei!] Como diferenciá-los de doces gourmets?

Honestamente meus docinhos não perdem nada para os tais dos gourmets. Afinal, o que é gourmet? Tem se discutido muito sobre isso. Ninguém sabe mais. Dizem que são produtos feitos com matéria-prima de alto padrão. Mas ué, isso não é básico? Uso os melhores ingredientes nas minhas receitas e nem por isso fui contaminada por essa epidemia gourmet. Quando entrego uma encomenda, quero entregar a sensação maravilhosa de um docinho com sabor memória afetiva; sabe? sabor da época que nem existia a expressão gourmet. Ou então, quero criar essa memória boa em uma criança que, tomara, ainda não tenha sido atingida pelo raio da gourmetizacão.

[Revista MamãeAchei!] Para decorar mesas infantis ou até mesmo chás de bebês, existem dicas especiais ou um perfil de doce mais indicado?

Hoje em dia tem de tudo. Tem casamento (e dos chiques, hein) que só tem brigadeiro na mesa, tem chá de bebê com potinhos de trufa para levar de lembrancinha, tem até aniversário sem bolo! Tá eclético o momento, o que eu acho bom. Cada um tem que servir o que gosta, preservando sempre a qualidade dos docinhos. É importante uma harmonia com o tema, claro; mas isso não define o tipo de produto. Mudando apenas a forma de apresentar, um docinho pode ser rústico, fino ou clássico.

[Revista MamãeAchei!] No que a Os Maravilhosos Docinhos da Jé acredita para encantar mamães e bebês?

Acredito, primeiramente, no atendimento mais bonito, elegante e sincero deste país — o meu, no caso. Sim, eu sou a miss sinceridade quando me dão espaço. Questiono, sugiro e me interesso por cada encomenda, faço o possível para que tudo seja perfeito pra mim e pro cliente. Feito isso, vem os produtos, que eu gosto de definir como: um docinho despretensiosamente bom. É assim mesmo! Em um primeiro olhar, você pensa que é só um docinho qualquer aí da vida, mas menina; quando morde é coisa de louco. Te juro. Então, a mensagem que deixo para as mamães é: cola comigo que é sucesso!

[Revista MamãeAchei!] Acredita que as embalagens e forminhas de docinhos contribuem para conquistar mais seus clientes? Como idealiza essa parte?

Opa! Não podemos julgar o livro pela capa, mas uma apresentação delicada e feita com amor faz toda a diferença. Ainda mais quando o assunto é docinho, primeiro comemos com os olhos. Mas já vi caso que a apresentação tá linda e o docinho nem tanto, aí não vale. Um precisa complementar o outro. Apresentação maravilhosa e docinho idem. Hoje, meus brigadeiros e trufas são servidos nas tradicionais forminhas de brigadeiro — de papel plissado. Eu só compro de um fornecedor que confio e faço questão de abrir forminha por forminha com todo cuidado, sem esgarçar. Já fui em loja famosa de brigadeiro onde as forminhas estavam todas arreganhadas, e também já vi gente que nem separa as forminhas, um horror. Os fudges vão em forminhas quatro pétalas, mas toda essa parte de cores e tipos pode ser combinada, às vezes o próprio cliente já tem uma forminha específica, estou aberta para deixar tudo maravilhoso e com a cara do evento.

[Revista MamãeAchei!] A forma como cria seus produtos é até um pouco incomum no Brasil, que tem um mercado mais focado em produtos tradicionais. Acredita que falta mais dessa ousadia no nosso país?

Acho que onde está faltando ousadia na forma de apresentar os produtos, mais do que na criação deles. Eu acompanhado muita gente que faz docinho, vejo ideias bem boas, até deve ser gostoso; mas é feio que dói. Tem também um outro tipo de apresentação onde, a pessoa enfeita tanto o doce, que o próprio doce desaparece. Acho que esse lance de docinho tá tudo muito copiado, muito igual. Falta ser original, ter identidade. Falta ousadia e alegria.
[Revista MamãeAchei!] Tem algum conselho para mamães que querem montar uma mesa de doces mais autêntico, mas nem sabem por onde começar?

Uma mesa autêntica é feita com docinhos autênticos, e o que isso quer dizer: docinhos que realmente tenham alguma ligação com o evento mas, principalmente, alguma ligação com você, mamãe. Resumindo: sirva docinhos que você goste de comer, de verdade. Falando em decoração, eu sempre procuro referências na internet, quase sempre no Pinterest, dá pra adaptar muito coisa do que tem por lá. Gosto bastante de usar canudos e confetes, combinam bastante com meus docinhos. Um cuidado interessante é expor os docinhos como parte da decoração, mas sem que necessariamente eles sejam a decoração. Os convidados não podem ter medo de estragar a decoração comendo um docinho, afinal, eles estão ali pra isso!

[Revista MamãeAchei!] Você é mãe ou sonha com esse dia?

Ainda não sou mãe, mas com certeza em breve serei. Pra mim, ser mãe é parte do processo de ser mulher. Não me sentiria completa se um dia não tivesse filhos. Atualmente estou cuidado quase que sozinha dos docinhos, desde a produção à entrega, é um momento delicado, mas passageiro. Daqui a pouco, esse projeto toma rumo e me sobra um tempinho pra novos projetos, dentre eles, alguém pra me ajudar a “limpar” as panelas de chocolate.
[Revista MamãeAchei!] E o futuro, Jé? O que espera desse doce trabalho?

Como todo negócio, espero crescer é evidente. Mas quero crescer de um jeito orgânico e despretensioso. Ambição sim, ganância jamais. Tenho estudado o mundo do empreendedorismo, que é muito novo pra mim. Sobretudo, quero preservar a essência de dar a devida atenção e carinho para cada encomenda, como faço hoje. Para este ano, quero incluir mais alguns tipos de doces no cardápio e quero fazer mais opções de sabores fits-veganos — uma tendência de mercado. Para um futuro próximo, quero abrir uma loja física onde eu possa reunir minhas paixões: docinhos maravilhosos, um bom café, livros e muitas flores. Ou seja, o lugar dos sonhos! <3

Onde eu acho a Jé?

Whatsapp, SMS e afins: (11) 98047.0204
quero@osmaravilhososdocinhosdaje.com.br
facebook.com/osmaravilhososdocinhosdaje

Texto: Fernanda Emmerick | Fotos: Natalia Viana / Divulgação


Tags: ,
Fernanda Emmerick

Fernanda Emmerick

Comentários


Posts relacionados

10 ideias de fotos para registrar o crescimento do seu bebê

Estava pesquisando fotos de bebês no Pinterest e achei algumas legais para você registrar os primeiros meses do seu bebê….

Leia mais

Crie seu livro!

Qual criança que ao ler um gibi ou assistindo a um desenho animado não se imaginou participando da história como…

Leia mais
tosse

Especial tosse: remédios naturais para crianças

Estou lendo um livro muito interessante sobre remédios naturais para crianças e resolvi compartilhar aqui com vocês. Hoje vou compartilhar…

Leia mais

Plugin produtos

Facebook

Pinterest

2478MamãeAchei! - © 2016 - Direitos Reservados